Seu Navegador não tem suporte a esse JavaScript!
Data: 29/01/2019 Hora: 08:16:15
Prefeitura de Borebi promove mais uma etapa do projeto de castração de cães e gatos

No dia 25 de janeiro, sexta-feira, a Prefeitura Municipal de Borebi, por meio do setor de vigilância sanitária, promoveu mais uma etapa do projeto permanente de castração de cães e gatos, sendo que dez cães foram submetidos ao procedimento. Nesta etapa serão castrados, ao todo, 70 (setenta) animais.

O setor de vigilância sanitária de Borebi recebeu verba para ser aplicada no projeto, que é intitulado, por lei municipal, como "Serviço de Controle Populacional de Cães e Gatos". A verba, ressalte-se, é vinculada ao controle de zoonoses, daí sua destinação para o projeto em comento.

Em Borebi, o projeto vem sendo executado pelos veterinários Rafaela Xavier de Melo Zílio e Eduardo Belei Zílio, com o auxílio da estagiária Elysne Sancevini Buassali. Os profissionais destacaram que, apesar de a manutenção de programa de castração constar de lei federal (Lei n.º 13.426/17) e, portanto, ser determinação a todos os municípios, são pouquíssimos os que efetivamente desenvolvem o projeto.

Em Borebi, realizar a castração de cães e gatos é um projeto permanente, realizado periodicamente. Quem possuir interesse em castrar seu animal de estimação deve procurar o setor de vigilância sanitária ou o Posto de Saúde, para manifestar a intenção.

Possuem preferência, na lista de interessados, os cuidadores de animais de rua e os donos de cães agressivos.

 

BENEFÍCIOS DA CASTRAÇÃO

De acordo com a veterinária Rafaela Xavier de Melo Zílio, os benefícios da castração vão muito além do controle de zoonoses. Obviamente, o controle de zoonoses tem na castração um importante aliado, porque, com a diminuição de filhotes, diminuem, também, as verminoses (que se transmitem entre animais e humanos), a sarna, as pulgas e carrapatos.

Todavia, a castração tem como consequência outros importantes benefícios, principalmente para o animal. Ela diminui, nas fêmeas, a incidência de câncer de ovário, útero e mama, bem como as chances de desenvolvimento de infecção uterina e genital. Essas doenças têm se desenvolvido, especialmente, nas fêmeas que recebem injeções anticoncepcionais.

Essas injeções, muito utilizadas, são muitas vezes fatais para os animais. Em Borebi, constatou-se, em uma cadela que recebeu a injeção em apenas duas oportunidades, tumor no útero e quadro infeccioso no endométrio (piometra). Não fosse a cirurgia de castração (que serviu, também, para a retirada do tumor e do órgão onde havia se instalado a infecção), a expectativa de vida da cadela, de acordo com os veterinários, seria de mais um ano apenas.

Além disso, a castração, para machos e fêmeas, diminui a agressividade, a agitação e a frustração, melhora o comportamento do animal e seu convívio com humanos e outros animais e aumenta a longevidade.

Galeria de Fotos